segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Passarinhos tomam banho na mão

Formação de nuvens inusitada para a cidade

Bebê se assusta com som do livro de bichinhos

Lutador finaliza luta com golpe sensacional

Calotas Digitais

Cachorro relaxando no banho

Morador se da mal ao instalar portas de vidro

Luminária Casa do Moinho - Casa Holandesa

Mesa dobrável de parede aprenda como fazer

Mesas e mesinhas fácil de fazer, móveis TOP

COMO FAZER LAÇO UCRANIANO - SEM PONTAS NO CHÃO

Dica de Vazamento de corrente elétrica, por causa do gesso! VAI TE SUR...

sábado, 13 de agosto de 2016

Invenção a favor da vida

Cometa maior do que o que extinguiu dinossauros já tem data para chegar

Click na imagem e confira toda a reportagem.
A possibilidade de meteoros caírem na Terra devido a influência de Júpiter gera certa preocupação por parte dos cientistas. Isso ocorre porque as Perseidas – pedaços de uma chuva de meteoros associada ao cometa Swift-Tuttle -, que brilham no céu noturno todos os meses de agosto, serão, neste ano, influenciadas pela órbita de Júpiter, em um fenômeno inédito.
Pesquisadores afirmam que a chuva deste ano não será perigosa, mas mostra que o nosso planeta pode, em algum momento, ser atingido pelo próprio cometa Swift-Tuttle, caso a influência da órbita de Júpiter seja muito grande.
A boa notícia é que este cometa, em particular, tem uma órbita facilmente calculável, com propriedades muito comuns e fáceis de serem entendidas. A cada 133 anos, ele completa uma órbita em torno do nosso Sol, a uma distância de 8 milhões de quilômetros da Terra, quase fora do Sistema Solar. À medida em que vai fazendo sua volta, ele vai se aproximando do centro do Sistema e, consequentemente, da Terra. Mas, ainda que de fato esse cometa venha a colidir com a Terra, isso só acontecerá no ano de 4479.
Se a previsão estiver correta, a colisão será 260 vezes mais potente do que a do cometa que extinguiu os dinossauros. O Swift-Tuttle mede 26 quilômetros de diâmetro e se move quatro vezes mais rápido do que o último a atingir a Terra. A energia liberada seria equivalente a 20.000.000 de bombas de hidrogênio.